Microsoft dá adeus ao Internet Explorer; você também deveria dar

12 de janeiro, o prazo final para o suporte ao Internet Explorer chegou, com uma recomendação para que todos os usuários migrem das versões mais antigas do navegador (IE 8, 9, e 10) para o IE 11 ou para seu novo navegador, o Microsoft Edge. De acordo com a assessoria da empresa, “Começando em 12 de janeiro de 2016, apenas a versão mais atual do Internet Explorer disponível para um sistema operacional suportado receberá suporte técnico e atualizações de segurança”. Conforme um estudo independente, ainda há quase 370 milhões de usuários, ou 45% de todos os usuários do IE, que ainda utilizam a versão mais antiga do navegador.

Após o prazo final, uma notificação de “fim de suporte” será enviada para as primeiras versões do navegador. Isso significa que as versões desatualizadas não receberão mais suporte técnico com patches e correções de bugs. De acordo com a página de suporte da Microsoft, “O Internet Explorer 11 é a última versão do Internet Explorer e continuará a receber atualizações de segurança, correções de compatibilidade e suporte técnico no Windows 7, Windows 8.1 e Windows 10. O Internet Explorer 11 oferece uma segurança aprimorada, melhor desempenho, melhor compatibilidade com versões anteriores e suporte para os padrões da web para os serviços e sites atuais. A Microsoft aconselha que todos os clientes façam o upgrade e se mantenham atualizados com o navegador mais recente para uma navegação mais rápida e mais segura.”

A Microsoft fez esse apelo para atualização ou uso de navegadores alternativos para proteger os sistemas contra possíveis riscos. A empresa ressaltou que embora as versões mais antigas ainda funcionem, os usuários ficarão expostos a mais riscos de vulnerabilidades não corrigidas por falta de suporte. “As atualizações de segurança corrigem vulnerabilidades que podem ser exploradas por malware, ajudando a manter os usuários e seus dados seguros. Atualizações regulares de segurança ajudam a proteger os computadores contra ataques maliciosos, portanto fazer o upgrade e se manter atualizado é importante.”

O Internet Explorer sempre foi um alvo favorito de cibercriminosos, com suas muitas brechas de segurança que facilitaram sua exploração ao longo dos anos. De fato, só em 2014, o navegador registrou um total de 243 vulnerabilidades de corrupção de memória – todas divulgadas e corrigidas.

Com sua reputação manchada por uma série de vulnerabilidades relatadas, o mais novo sistema operacional da Microsoft introduziu um novo navegador padrão chamado Edge que, de acordo com o analista de ameaças Henry Li, “pretende reduzir as superfícies de possíveis ataques, removendo sistematicamente recursos (e códigos) que não são mais necessários no ambiente de utilização atual”.