Parar ou não parar: eis a questão para sua proteção de dados

Não é de hoje que se sabe que os cibercriminosos, longe de fazerem ataques aleatórios na esperança de atingir alguma eventual vítima desatenta, fazem extensos planejamentos de suas ações, analisando desde o perfil de operação da empresa, sua forma de relacionamento com o público, seus funcionários e, claro, suas vulnerabilidades de sistema, em busca da brecha ideal para tentarem obter acesso a dados privilegiados, quaisquer que sejam eles.

O mais recente e famigerado deles talvez seja o ataque de ransom do WannaCry, baseado em uma vulnerabilidade do Windows, afetando centenas de milhares de máquinas em diversos países, mas ele está longe de ser o único. Exploração de vulnerabilidades é um problema permanente no desenvolvimento tecnológico mundial, afetando desde programas tradicionais como o Flash até iPhones, e que só apresenta tendências de aumento, conforme a variedade e a complexidade dos sistemas cresce.

Naturalmente, as empresas produtoras de softwares vêm se tornando mais vigilantes e ágeis na produção de patches e atualizações que corrijam estas falhas, a fim de evitar que seus próprios clientes fiquem expostos contra os chamados ataques dia-zero, que atuam exatamente na exploração destas falhas para atingir seus objetivos. Analogamente, as empresas têm se tornado mais atentas em relação à sua própria proteção de dados, investindo em soluções de defesa contra ataques virtuais e procurando manter seus sistemas atualizados e devidamente operantes. Mesmo assim, é comum que a instalação destes patches levem a algum tempo de downtime dos sistemas (o que quase sempre ocorre de madrugada ou em algum outro momento de uso mínimo) e isso nem sempre é possível de ser executado sem prejuízo operacional. Para empresas que dependem de tráfego externo (como e-commerces e varejistas, apenas para citar um tipo dentre vários), tempo fora do ar pode ser sinônimo de prejuízo, deixando uma escolha difícil entre ficar vulnerável ou comprometer a operação.

Felizmente, as soluções mais avançadas do mercado permitem contornar esta situação de forma efetiva: virtual patching e detecção de intrusos. Usando um sistema de defesa realmente completo e robusto, sua empresa pode contar com diversas camadas de proteção, incluindo a opção de identificar e proteger vulnerabilidades de sistema em tempo real, antes da liberação do patch oficial e sem a necessidade de retirada das máquinas do ar em momentos críticos de demanda; complementarmente, contando com uma solução de detecção de comportamentos suspeitos na rede e sandboxing para testar componentes potencialmente perigosos, sua empresa consegue identificar e um intruso antes mesmo que ele possa ter acesso a qualquer área restrita, oferecendo as ferramentas certas para isolar o invasor e frear o ataque rapidamente. Sendo assim, se sua empresa depende de alta disponibilidade de servidores e não pode ficar vulnerável em momento algum, procure por estas características em sua próxima solução e garanta uma operação tranquila e segura para você e seu cliente.