Ameaças conectadas: Você venderia seus dados pessoais?

Se você não estava morando em Marte nos últimos anos, você sabe que a Internet das Coisas já começou a chegar. Bilhões de novos eletrodomésticos conectados a Internet, sensores e outros aparelhos inteligentes prometem transformar nossas vidas, nos tornando mais produtivos, saudáveis e felizes, com milhares deles entrando online todos os dias. Mas com essa revolução de TI também vêm novos desafios, sobretudo os relacionados à segurança e privacidade. Estamos felizes com o volume de dados que esses novos dispositivos coletam sobre nós? Você se sente no controle de sua privacidade online? Você estaria preparado para vender seus dados pelo preço certo?

Na Trend Micro estamos sempre procurando entender melhor nossos clientes, para melhorar nossos produtos e serviços. Então, saímos em busca de respostas para essas perguntas, e muitas outras, em uma nova pesquisa realizada pelo Instituto Ponemon. O que descobrimos poderá surpreendê-lo.

Ameaças Conectadas

Nosso mundo moderno conectado parece estar cheio de histórias de perda de dados e de invasão de privacidade. Todas as semanas ouvimos falar de uma grande violação de dados pessoais e financeiros – seja de um grande nome do varejo, de uma instituição financeira, um provedor de assistência médica ou de outra corporação anônima. Isso sem mencionar a crescente consciência de que muitos provedores de serviço com quem interagimos online estão usando e compartilhando nossas informações pessoais para seu próprio ganho – geralmente sem nos contar e frequentemente sem nenhum benefício para o consumidor final.

Agora, imagine qual vai ser o impacto da Internet das Coisas em tudo isso. Ela tem o potencial de aumentar muito o risco de violações de dados e intrusões em nossa privacidade. Estaremos compartilhando mais dados sobre nós com os fornecedores da IoT, do que jamais julgamos possível. Desde a pulseira inteligente em seu pulso até o refrigerador inteligente em sua cozinha e mesmo aquele sensor de emissões de seu automóvel: os dispositivos que antes só facilitavam a vida agora estão também coletando e armazenando dados (alguns deles bastante pessoais).

Então, como os consumidores dos EUA se sentem a respeito disso?

Nós nos importamos?

Nossa pesquisa do Ponemon revelou alguns insights interessantes sobre como a média dos consumidores dos EUA considera a segurança e a privacidade nesta era nova e super conectada.

Por um lado, a maioria de nós ou acredita que os benefícios da IoT não compensam as preocupações com a segurança e a privacidade, ou não tem certeza disso. A maioria (81%) também diz não ter recebido, ou não ter certeza de ter recebido qualquer informação dos fornecedores de IoT a respeito de como suas informações pessoais serão usadas. Nós também nos sentimos impotentes sobre como nossos dados são usados. Cerca de 79% disseram que raramente, ou nunca, têm controle sobre os dados quando navegam ou compram online; 66% sentem o mesmo quando compram na loja. Mais um quarto disse não saber como suas informações pessoais são usadas.

Mas, embora a maioria de nós não acredita que nossos funcionários devem ter acesso aos nossos dados de IoT, um número surpreendente de 59% disse estar disposto a vender seus dados pessoais para firmas de confiança. Informações de saúde, senhas e seguridade social foram as mais valorizadas pelos entrevistados.

O que isso significa?

Estamos mesmo dispostos a entregar nossos dados mais pessoais? Como podemos ter certeza de que podemos “confiar” nas firmas para as quais vendemos? Poderíamos explicar essa estatística dizendo que os entrevistados talvez simplesmente desconheçam as implicações de segurança e de privacidade de vender seus dados pessoais. Porém, 68% dos entrevistados disseram entender que as informações pessoais são valiosas para os departamentos de vendas e marketing – mostrando uma certa compreensão das questões envolvidas.

É impossível saber com certeza se os consumidores dos EUA avaliam plenamente as implicações da venda de seus dados pessoais. Mas o que é certo nesse relatório é que o setor da IoT poderia fazer um trabalho bem melhor na comunicação e educação de seus clientes, para ter a transparência e a participação do usuário que ela precisa para crescer.

Para saber mais sobre essa pesquisa fascinante, clique aqui para baixar o relatório (em inglês): Privacidade e Segurança em uma Vida Conectada: Um Estudo dos Consumidores dos EUA.

Continue acompanhando nosso blog, confira as melhores dicas de segurança e saiba como se proteger na rede! Algum insight sobre essa postagem? Deixe seu comentário abaixo ou fale com a gente no twitter @TrendMicroBR.