Escassez de profissionais qualificados sobrecarrega mercado de cibersegurança, aponta pesquisa

Segundo estudo da Trend Micro, quase 50% das organizações pesquisadas não possuem a mão de obra necessário para manter as medidas de segurança

São Paulos, abril de 2019 – A Trend Micro divulgou os resultados de uma pesquisa que aponta que a escassez contínua – e muitas vezes prejudicial – de talentos de segurança cibernética levou a maioria das organizações a buscarem ajuda de fora, como tecnologias de automação, aumentando os programas de treinamento e terceirização para detecção e a prevenção das ameaças cibernéticas.

O estudo constata que, independentemente do tamanho, as empresas hoje compartilham um desafio comum: as equipes de segurança de TI estão com falta de pessoal e sobrecarregadas. O número de alertas de segurança, o desafio de o que priorizar e a falta de experiência podem ser esmagadores e introduzir riscos.

A pesquisa – que entrevistou 1.125 tomadores de decisão de TI em todo o mundo – mostra que 69% das organizações concordam que a automatização de tarefas de cibersegurança, utilizando Inteligência Artificial (AI), reduziria o impacto da falta de profissionais qualificados na área. Isso ocorre depois que as companhias viram as ameaças cibernéticas crescerem 64% durante o último ano.

“Há uma escassez real e crítica do pessoal de segurança cibernética”, diz Greg Young, vice-presidente de segurança cibernética da Trend Micro, comentou. “A IA e o machine learning podem reduzir a carga de trabalho operacional, lidando com as tarefas de baixo valor para as quais usamos nossas pessoas de alto valor. Assim, conseguimos diminuir o tsunami de alertas de baixo valor que lançamos nas equipes”. 

Entretanto, Young explica que apenas aumentar o número de soluções de segurança, adicionando mais alertas não são úteis. “Ao invés disso, o objetivo deve ser adicionar segurança mais inteligente e integrada, reduzindo os alertas indesejados. Mais dados de segurança coletados não precisam significar mais alertas, os dados devem ser usados ​​para eliminar os falsos alarmes. Deixe a equipe se concentrar nos ataques reais e complexos”.

A partir da pesquisa, 63% dos tomadores de decisão de TI planejam utilizar a tecnologia da IA para automatizar seus processos de segurança. No entanto, embora a IA possa lidar efetivamente com o processamento de dados, profissionais treinados em segurança cibernética são necessários para analisar os resultados e gerenciar a estratégia geral de segurança.

De acordo com o Gartner, “a falta de profissionais de segurança qualificados tem sido um problema perene que resulta consistentemente em implantações de tecnologia de segurança com falha. O número de cargos de cibersegurança não preenchidos deverá crescer de 1 milhão em 2018 para 1,5 milhão até o final de 2020. ”

Sobre a Trend Micro

A Trend Micro Incorporated, líder global em soluções de segurança cibernética, ajuda a tornar o mundo seguro para o intercâmbio de informações digitais. Nossas soluções inovadoras para consumidores, empresas e governos fornecem segurança em camadas para data centers, cargas de trabalho de nuvem, redes e endpoints. Todos os nossos produtos trabalham juntos para compartilhar facilmente informações sobre ameaças e fornecer uma defesa contra ameaças com visibilidade e investigação centralizadas, permitindo uma proteção melhor e mais rápida. Com mais de 6.000 funcionários em 50 países e a pesquisa e inteligência de ameaças globais mais avançadas do mundo, a Trend Micro permite que as organizações protejam seu mundo conectado. Para mais informações, visite www.trendmicro.com.br.

Informações sobre a Trend Micro para a imprensa:

RPMA Comunicação
Cecília Ferrarezzi – cecilia.ferrarezzi@rpmacomunicacao.com.br – (11) 2244-5967
Alisson Costa – alisson.costa@rpmacomunicacao.com.br – (11) 2244-5918
Thais Amaral – thais.amaral@rpmacomunicacao.com.br – (11) 2244-5953