O submundo japonês: a economia única do submundo cibercriminoso do Japão

Mesmo no Japão, onde a vida diária é regida pela lei, disciplina e tradições, o cibercrime mostra sua cara.

Imagine um jovem de 17 anos de idade. Imagine-o sendo preso por vários casos de distribuição de ransomware, tentativas de hacking e fraude de cartão de crédito. A caixa de ferramentas escolhida por ele: um dos muitos quadros de mensagens japoneses que atendem a tais atividades sombrias, plataformas possibilitando que indivíduos com os mesmos interesses não apenas se envolvam em cibercrimes mas também as usem para ganhar a vida.

Isso não é só uma fantasia. É a realidade no submundo japonês, onde comunidades online privadas e enclausuradas protegem os cibercriminosos com um anonimato forçado e um gatekeeping rigoroso.

Esse relatório oferece um olhar detalhado sobre o crescente submundo japonês, seus mercados e sua economia. Ele discute o submundo cibercriminoso criado pela legislação rigorosa e a abordagem geral para combater o crime do Japão e de como a cultura de contrastes bem definida do país tornou esse submundo específico em um dos mais exclusivos que já tivemos a oportunidade de conhecer.

O relatório trata de tudo que descobrimos sobre o submundo japonês, desde suas atividades criminosas e seus serviços ilícitos até os traços e idiossincrasias que o distinguem dos outros de que já falamos. Ele também fala de como o anonimato forçado – uma tendência que o Japão iniciou com seus quadros públicos de mensagens – também está ajudando a economia do submundo a florescer.

Alguns destaques desse estudo:

  • As medidas japonesas de gatekeeping tomadas pelos cibercriminosos para garantir que apenas ‘os que estão por dentro’ possam acessar seus sites e mercadorias
  • Seu crescente uso da deep web para esconder atividades ilegais
  • A preferência do Submundo Cibercriminoso Japonês por negociar com moedas do Playstation™ Store e também da Amazon™ Gift Cards, em vez de usar moedas tradicionais
  • O tipo de contrabando e parafernália ilegais prevalecem no submundo cibercriminoso japonês em contraste com as leis rigorosas do país, a saber: drogas, pornografia infantil e armamento de alto calibre
  • O preço de alguns itens básicos do submundo, como cartões de crédito clonados/ou comprometidos, contas de banco Paypal™ e passaportes falsos. O último é particularmente vendido mais barato comparado a outros sites da deep web – US$700 dólares por um passaporte dos EUA, comparado a US$5900 dólares de outras fontes.

Veja mais detalhes no relatório completo, O Submundo Japonês (em inglês).