Por que os consumidores dos EUA estão preocupados com a Internet das Coisas?

Quão conectado é o mundo em que você vive hoje? Qualquer que seja a sua resposta, a verdade é que ele está para ficar muito mais interconectado com a revolução conforme a Internet das Coisas avança. Depois de mais de um quarto de século protegendo a segurança e a privacidade de nossos clientes, pensamos que seria uma boa ideia entender a atitude dos consumidores dos EUA em relação a esse tsunami tecnológico que está chegando. Porque só com este tipo de visão podemos concentrar nossos esforços nas áreas certas para continuar a proteger os clientes daqui para a frente.

Nesse relatório conseguimos obter uma perspectiva incomparável sobre o que os consumidores dos EUA realmente pensam sobre segurança e privacidade no contexto de sua vida cada vez mais conectada. Os resultados devem forçar os participantes de todos os setores a darem um passo atrás e pensarem antes de entrar de cabeça na IoT (Internet of Things).

Infinitas possibilidades

A Internet das Coisas promete revolucionar a maneira de como trabalhamos e vivemos. Com bilhões de dispositivos inteligentes conectados a Internet, entrando online, compartilhando dados uns com os outros e com seus fabricantes, eles têm a capacidade de criar casas mais inteligentes, entregar maneiras mais produtivas de trabalhar e até revolucionar a assistência médica.

Mas com todos esses avanços maravilhosos vem uma ressalva importante. Dados pessoais de usuários serão compartilhados em uma escala nunca vista – abrindo-se para potenciais desafios de privacidade. E há também os próprios sistemas inteligentes, alguns dos quais podem se tornar alvos para hackers buscando obter um controle remoto ou realizar outras tarefas nefastas.

O que os consumidores dos EUA acham disso?

Essa é apenas uma visão rápida do que descobrimos:

  • Um grande número de consumidores dos EUA (45%) disse ter ficado mais preocupado com a segurança e privacidade nos últimos cinco anos, principalmente depois de terem sido vítimas de uma violação de dados;
  • Os consumidores dos EUA não estão convencidos de que os benefícios da IoT compensem as preocupações com a privacidade e segurança. Cerca de 46% disseram que sim; os 54% restantes disseram que não (39%) ou não têm certeza (15%);
  • O número acima é ainda mais revelador porque a maioria dos consumidores (68%) não entende que dados pessoais são valiosos para o marketing e vendas das empresas;
  • A Incerteza sobre como os dados são coletados, compartilhados e armazenados pode impedir que muitas pessoas usem os dispositivos inteligentes. Três quartos (74%) disseram ter pouco controle sobre informações pessoais na IoT;
  • O problema tem sido agravado pela falta de informações dos provedores da IoT. Um total de 81% dos entrevistados disseram não ter recebido informações sobre como seus dados foram usados, ou não tinham certeza;
  • Os consumidores estão mais preocupados com a segurança (75%) do que com a privacidade (44%) na IoT— indicando talvez um sentimento de impotência a respeito do dado anterior.

Hora de pensar

Quando se trata do rápido ritmo das mudanças tecnológicas, quase não dá tempo de respirar. Porém, nossa pesquisa mostrou claramente que os consumidores têm reservas em relação à segurança e privacidade de seus dados pessoais na Internet das Coisas.

Em muitos casos, é só uma questão de melhorar a educação e a comunicação com os clientes, criando um vínculo de confiança. Mas como setor temos que enfrentar o claro desafio de que, para muitos, os benefícios da IoT ainda não compensam as principais preocupações com segurança e privacidade dos consumidores.

Clique aqui para ler o relatório completo (em inglês).