Segurança de TI: por que é crucial ter ferramentas de segurança integradas?

Garantir a segurança de TI da empresa é como montar um quebra-cabeça. Encaixam-se as peças parte por parte para que ele fique completo. Entretanto, se alguma delas estiver desencaixada, a figura terá falhas e apresentará uma brecha.

O mesmo ocorre se um sistema de segurança da informação de uma companhia não for totalmente completo e contar com softwares integrados. O risco de um ciberataque será iminente.

Quando se adota a utilização de ferramentas integradas para garantir a segurança de TI aumenta-se a chance de prevenir, identificar, analisar e proteger as máquinas de uma empresa e todo o seu sistema.

Vejamos, por exemplo, um cenário de infecção por vírus depositado por um hacker em um determinado computador da empresa. O próximo passo que um software inteligente de segurança faria seria ativar imediatamente o antivírus e jogar a possível ameaça para o sandbox.

Contudo, se os sistemas forem diferentes e não produzirem uma proteção 360º é provável que apresentem lentidão na resolução do problema, podendo causar um comprometimento dos dados da companhia.

Aprofundando a descoberta

Nesse contexto de softwares integrados para dar mais segurança para a companhia, o sandbox se tornou uma ferramenta excepcional na descoberta e mitigação de ataques hackers. Isso porque ele analisa instantaneamente as ameaças que entram na rede de uma empresa e detectam investidas sem necessitar de atualizações.

Entretanto, como o crime digital vem sofrendo constantes sofisitcações e inovações, os cibercriminosos estão tentando encontrar métodos para invadir essas sandboxes.

Assim, os responsáveis pela segurança de TI da companhia devem estar atentos e preparados para possíveis invasões e para que o sandbox reflita o máximo possível o ambiente dos usuários.

Diferenciando as sandboxes

Por conta dessas mudanças, visto que as sandboxes tradicionais estavam sendo alvo de atacantes que somente desabilitavam as opções de técnica anti-VM e anti-sandbox foram reforçadas as barreiras de proteção para evitar brechas e violações de dados. Foi assim que nasceu a smart sandbox.

No início de 2015, a Trend Micro fez uma análise entre a sandbox tradicional e a smart e descobriu que a segunda solução foi capaz de lidar com técnicas sofisticadas de invasão e detectar comportamento de múltiplos aspectos de uma ameaça: seus scripts, seu shellcode e sua carga útil, dentro de um sandbox personalizável.

Portanto, vale lembrar que um gerenciamento 360 graus do tráfego de rede é capaz de dar visibilidade e gerar inteligência aos sistemas de segurança para que consigam detectar e responder aos ataques direcionados e ameaças avançadas.

Considere o uso de uma solução de softwares integrados para potencializar a segurança dos dados da sua empresa.