IA e Machine Learning: os novos aliados na era da regulamentação

Além de ser uma prática inteligente do ponto de vista técnico, o investimento em cibersegurança é, cada vez mais, uma medida importante para uma administração segura e eficiente. Para as empresas do ramo financeiro, contudo, ela é uma necessidade regulamentar que já não pode mais ser ignorada.

Desde abril de 2018, o Banco Central do Brasil (Bacen) publicou normas específicas dentro da resolução 4.658, que tratam de cibersegurança, de guarda e processamento de dados e do uso de nuvem. Além das normas específicas do Bacen, as instituições financeiras ainda são sujeitas a leis mais amplas como a LGPD, que entra em vigor no ano que vem e prevê pesadas sanções a empresas que não tomarem os devidos cuidados com dados de clientes sob sua responsabilidade.

Este cenário de ampla regulamentação se forma justamente no momento em que a atividade criminosa no meio digital se intensifica, não apenas em quantidade, mas em sofisticação e complexidade. Esta configuração é particularmente perigosa pois, aumentam-se as cobranças e o peso das consequências de eventuais invasões e perdas de dados. É nítido que as empresas, sobretudo do ramo financeiro, precisam de soluções de defesa que tragam recursos avançados para enfrentar de forma consistente este novo e desafiador cenário.

IA e machine learning: os recursos certos para os novos desafios

Como os hackers agora investem em mais planejamento para seus ataques direcionados e usam técnicas complexas em suas ações, sistemas tradicionais nem sempre conseguem identificar as ameaças como tais, e podem deixar brechas exploráveis pelos criminosos. Para evitar isso, sua empresa deve investir em soluções que não dependam de análise de assinatura para identificar vírus e outros males. 

As ferramentas mais avançadas do mercado contam com sistemas de inteligência artificial, que conseguem analisar não só itens individuais, mas também comportamentos e inconsistências dentro de suas redes e sistemas, oferecendo uma proteção muito mais efetiva para seu ambiente digital. Similarmente, o uso de machine learning faz com que seus sistemas de defesa consigam aprender com cada nova situação enfrentada, criando uma segurança cada vez mais robusta e ágil.

Soluções que trazem estes recursos conseguem reagir mais rápido a possíveis ameaças, avisando rapidamente à equipe de segurança sobre a potencial ameaça, rapidamente agindo para conter uma eventual infecção antes de se espalhe e atinja áreas críticas do sistema. Na prática, isso significa uma contenção extremamente eficiente no acesso e roubo de dados sigilosos, que poderia levar a multas e punições.

Some estes recursos com uma boa inteligência de ameaças, que traz dados recentes de pesquisas de vulnerabilidades e novos agentes maliciosos para alimentar o banco de dados da solução, e sua empresa contará com uma solução realmente efetiva, capaz de trazer segurança confiável para os desafios atuais.