Introdução à VPN – Parte 1: O que você precisa saber para se manter seguro e proteger sua privacidade online

A internet é uma coisa maravilhosa, mas todos sabem que há muitos riscos em cada esquina. Queremos nos proteger contra malwares e identificar roubos, bloquear localizadores terceirizados, impedir que os anunciantes obtenham nossas informações pessoais e proteger nossos filhos quando estiverem navegando a internet. Para fazer isso, pode-se usar uma rede privada virtual (VPN – Virtual Private Network).

As ferramentas de VPN têm diversos benefícios de privacidade e segurança, mas os recursos podem variar muito de um produto para o outro. Por exemplo, a VPN local da Trend Micro no Content Shield, incluso no Trend Micro Mobile Security for iOS, se concentra em filtrar ameaças e conteúdo da web.

Veja abaixo alguns conceitos básicos sobre VPNs.

O que é uma VPN?

A maior parte das VPNs faz com que seja possível navegar de forma anônima e segura na web. Como elas fazem isso? Através de uma conexão segura entre seu computador ou dispositivo móvel e um servidor (outro computador) executado por um provedor de VPN. Portanto, na verdade, sua navegação é feita através deste outro computador. Sendo assim, os sites que você acessa não vão conseguir rastrear o seu endereço IP; o único número que aparecerá será o do computador VPN.

Isso é excelente para a privacidade, mas e a questão da segurança? Afinal, as VPNs também podem ser usadas como meio de acesso seguro e criptografado à web, te protegendo de ataques que tentam obter seus dados de acesso ao banco online ou outros sites sensíveis. Esse tipo de ataque é muito comum em redes públicas de Wi-Fi, pois os hackers geralmente ficam à espreita, esperando você acessar sua conta do Gmail ou sua conta bancária. Basicamente, o equivalente digital de espiar por cima dos seus ombros para ver seu login e senha e roubar suas informações pessoais.

Com uma VPN, todas essas informações ficam escondidas em uma rede segura. Algumas VPNs afirmam que podem te proteger contra qualquer malware que você tenha baixado sem perceber, seja escondido em um anexo de spam ou em um aplicativo móvel. Outras soluções, como a VPN local no Content Shield, incluso no Trend Micro Mobile Security for iOS, também te impedem de acessar sites falsos de phishing e outros sites maliciosos.

O que uma VPN não faz?

É importante lembrar que as VPNs não são desenvolvidas nos mesmos moldes, portanto é fundamental pesquisar antes de fazer sua escolha. A qualidade e o tipo de serviço podem ser muito diferentes, assim como os recursos, tais como: plataformas móveis e essenciais suportadas; número de conexões simultâneas permitidas em uma única assinatura; e até mesmo suporte inteligente para equipamentos.

As VPNs não fornecem anonimato total, pois os provedores de VPN podem salvar seus acessos e suas atividades de navegação na web, portanto, caso esses dados sejam salvos, as autoridades podem forçar o provedor a disponibilizar essas informações.

Além disso, não use a VPN como sua única ferramenta de segurança online. A solução com certeza ajuda, mas não substitui um bom antivírus e um administrador de senhas. As três soluções (e outras ferramentas) devem ser usadas em conjunto.

A VPN é a mesma coisa de um navegador em modo anônimo?

Não. É importante ressaltar que são diferentes. O navegador em modo anônimo pode não ser tão anônimo quando você pensa.  Em modo anônimo, o computador não vai guardar nenhum dos dados nos sites pesquisados ou páginas acessadas. Além disso, também não vai salvar nenhum dado de acesso ou cookies. Todas as informações desaparecem quando você fecha a janela.

Isso pode ser vantajoso caso esteja usando um computador compartilhado, ou seja, outras pessoas não podem ver seu histórico de navegação ou tentar sequestrar suas contas virtuais. Além disso, esse hábito pode te ajudar a economizar dinheiro com passagens aéreas e diárias em hotéis, pois torna impossível monitorar seus cookies de navegação. Dessa forma, os sites não aumentam o preço de forma automática quando percebem que você acessou aquele site recentemente.

No entanto, o navegador salva todos os arquivos que você baixar ou marcadores que criar durante a navegação e não te impede de acessar sites maliciosos ou de baixar malwares. ISPs e quaisquer outros terceiros que conheçam seu endereço IP poderão monitorar seus hábitos de navegação.

As VPNs funcionam de forma diferente, escondendo o seu endereço de IP original (como os servidores de proxy) e camuflando o conteúdo das páginas acessadas. Assim, seu ISP ou os donos dos sites não conseguem monitorar essas atividades (apenas dos provedores de VPNs poderem armazenar essas informações). O máximo que o ISP consegue ver é que você está conectado a vários endereços da internet, mas não o tipo de informação que você está trocando com esses sites.

O que os ISPs e os provedores de VPN podem monitorar?

De forma resumida, sem uma VPN, seu provedor de serviços de internet (ISP) pode ver todos os sites e todo o conteúdo dos sites que você acessa, a menos que estejam criptografados. Se o site estiver criptografado (por exemplo, a URL começa com HTTPS://), o ISP não pode ver o site ou o conteúdo é criptografado, mas pode monitorar seus registros de consultas DNS, o que permite que veja quais sites você acessou de um jeito um pouco diferente. Outras técnicas conhecidas como impressões digitais do site podem permitir que o ISP identifique quais páginas da web você está visitando. Nos EUA, os ISPs podem vender essas informações para anunciantes e, claro, disponibilizá-las para as autoridades, caso solicitado.

A VPN pode esconder o tipo de dado do seu ISP, mas algumas são mais eficazes que outras. Além disso, a ferramenta deve ser configurada da forma certa, o que faz com que muitos consumidores tenham dificuldade de saber se estão mesmo protegidos ou não. O próprio provedor da VPN também deve ser levado em consideração, já que tecnicamente ele poderia ver toda sua movimentação online e pode ser difícil descobrir o que ele faz com essa informação. Por isso é importante usar um provedor de confiança. Muitos especialistas aconselham evitar os serviços não pagos.

Há diversos tipos de instalação de VPN e, em alguns casos, a criptografia não é tão indecifrável quanto os consumidores gostariam. Inclusive, há algum tempo, alguns serviços foram acusados de falhas de segurança que permitiam que bandidos acessassem essas informações e espionassem os dados. Então pesquise bem antes de escolher um serviço de VPN.

VPNs locais vs VPNs na nuvem

Até agora, falamos sobre as VPNs “na nuvem”, ou seja, VPNs que permitem que os usuários acessem nuvens de forma segura e privada. Outra opção de VPN é a que a Trend Micro usa: uma VPN local no Mobile Security for iOS da Trend Micro, que faz parte da função Content Shield.

A VPN local da Content Shield não usa criptografia para se conectar ao servidor do provedor da VPN. Em vez disso, o servidor que “filtra” as ameaças da web fica no seu próprio dispositivo. Em comparação com uma VPN na nuvem, isso otimiza a velocidade de navegação, pois geralmente a VPN local só precisa verificar as informações virtuais armazenadas no dispositivo, em vez de se conectar a outro equipamento toda vez que verifica um site.

Content Shield: Navegação segura e controle parentais

Resumindo, a VPN local da Trend Micro se concentra em proteção conta ameaças da web e controles parentais, incluso no Content Shield do Mobile Security for iOS. Portanto, é muito eficaz em te impedir de acessar sites maliciosos e em filtrar e bloquear sites inapropriados quando seus filhos estiverem usando a internet. A solução intercepta buscas e resultados de pesquisas para garantir que sua família não acesse nenhum site que possa roubar sua identidade ou baixar um malware no seu dispositivo e filtra os sites de acordo com os controles parentais pré-definidos no dispositivo. Ao verificar muitos desses sites de acordo com os dados armazenados temporariamente no dispositivo, a navegação fica mais rápida.

O Content Shield funciona em todos os navegadores iOS e até mesmo em outros aplicativos que possam tentar carregar um site, como Facebook, Line, Gmail e outros.

Para mais informações sobre o Mobile Security da Trend Micro clique aqui, assista nosso vídeo no YouTube sobre o Mobile Security for iOS.

Para baixar o Mobile Security for iOS da Trend Micro, acesse a App Store do iOS no seu iPhone, iPad ou iPod. Você pode pré-visualizar o aplicativo aqui.